10 dicas para ingressar em uma Universidade Americana

10 dicas para ingressar em uma Universidade Americana

Já faz algum tempo que as principais empresas estão à procura de um tipo específico de profissional: o jovem com mentalidade global. Em um mundo em que as organizações precisam estabelecer relações comerciais outros países, os gestores devem entender as diferenças culturais e identificar oportunidades de negócios em outros mercados. Ingressar em uma universidade americana é uma das formas de desenvolver essa competência tão valorizada.

Mas você sabe o que fazer para conseguir uma vaga em uma universidade americana?  É sobre isso que vamos falar neste post. Então, se você tem interesse em estudar fora e se preparar adequadamente para trabalhar em um mercado globalizado, essa é a sua chance! 

Por que ingressar em uma universidade americana? 

Qualidade da universidade americana

Há muitas razões para um jovem ou profissional em início de carreira tentar uma vaga em uma universidade americana. Em primeiro lugar, elas são as instituições do mundo que mais investem em pesquisa e desenvolvimento. Portanto, elas não só transmitem o conhecimento — elas definitivamente revolucionam o mundo com o que descobrem em seus laboratórios dedicados às mais diversas áreas.

E se quando você pensa em pesquisa, desenvolvimento e laboratórios o que vem à sua mente são apenas áreas como a de saúde, essa é uma visão equivocada. Eles desenvolvem uma série de estudos em Ciências Humanas, Políticas e Econômicas, entre outras. 

Por isso, não é sem motivo que, das 10 universidades do mundo com maior quantidade de prêmios Nobel, 9 estão nos Estados Unidos. Sem dúvida, as faculdades americanas são um grande centro de produção e difusão de conhecimento e inovação.

Possibilidade de desenvolver a mentalidade global

Mas além dessas vantagens, estudar em uma universidade americana pode dar a você um diferencial que o mercado procura atualmente: a mentalidade global.

Como nós falamos no início do post, essa é uma característica muito importante para os gestores de grandes organizações, especialmente as multinacionais. Hoje em dia, essas companhias precisam estabelecer contratos com parceiros dos mais diversos lugares do mundo.

Essas parcerias são essenciais, pois garantem que eles consigam matéria-prima mais barata de fornecedores internacionais. Dessa forma, é possível praticar preços competitivos. Eles também precisam encontrar oportunidades em outros mercados para expandir seus negócios. Port18anto, um gestor que tenha conhecimento e visão global consegue potencializar esses resultados.

E por que fazer isso em uma universidade americana? Além da qualidade de ensino que elas oferecem, os Estados Unidos têm a maior população de imigrantes entre todos os países do mundo. Quase 14% da população atual que vive nos EUA nasceu no exterior

Por isso, sua chance de conviver com muitos imigrantes, conhecer a cultura deles e por meio de sua história de vida, entender como essas diferentes sociedades funcionam é muito grande.

Além disso, você não conviverá apenas com habitantes e estudantes de outros países. De modo geral, 22% dos professores das universidades americanas são estrangeiros. Mais uma vez, estudos mostram que esse grupo vem da China, Índia, Coreia, Canadá, México e outros 149 países.

Além disso, na média eles são mais qualificados até mesmo que os professores nativos. Esse mesmo estudo mostra que 43% dos docentes universitários estrangeiros possuem o Doctoral Degree, enquanto apenas 30% dos docentes americanos possuem esse nível graduação.

Portanto, as universidades americanas oferecem um combo de conhecimentos essencial para a formação de um profissional global: professores de altíssima qualidade, que agregam ao ensino também a sua experiência deles nos países de origem e em outros onde atuaramtenham atuado ao longo da carreira.

Valorização do diploma americano no mercado

Finalmente, um excelente motivo para estudar em uma universidade americana é o reconhecimento que esse tipo de diploma encontra no mercado. Ele é uma espécie de certificado de excelência, que pode colocá-lo à frente de milhares de outros candidatos em processos seletivos de grandes empresas, no Brasil e no mundo. Portanto, pode ajudá-lo profissionalmente.

Como ingressar em uma universidade americana? 

Como ingressar em uma universidade americana? 

Até aqui, acreditamos que as vantagens de estudar em uma universidade americana tenham ficado muito claras. Porém, alguns estudantes e profissionais desistem até mesmo antes de começarem o processo porque acreditam que conquistar uma vaga nessas instituições é muito difícil.

Com certeza, trata-se de um processo muito desafiador. Porém, você pode contar com um fator importante: por valorizarem a diversidade, várias universidades favorecem a entrada de alunos estrangeiros e até mesmo concedem bolsas a eles. 

Além disso, a forma de ingresso em uma universidade americana é completamente diferente do tradicional vestibular brasileiro. Eles não avaliam o aluno a partir de uma prova padronizada de conhecimentos. Eles consideram a trajetória dele, seu esforço, o desempenho ao longo da High School (equivalente ao Ensino Médio) e até mesmo sua história de vida.

Ficou animado com as novas possibilidades? Então, confira a seguir as nossas dicas para ingressar em uma universidade americana!

1. Pesquise as instituições e seus critérios de admissão

Para começar a tentar sua admissão, você precisa pesquisar as universidades que interessam a você. Faça uma boa busca na internet, veja quais são os cursos que as diferentes instituições oferecem e até mesmo as avaliações a respeito de sua qualidade.

Depois de escolher algumas universidades que você considera interessantes, entre diretamente no site delas para verificar como é o processo de seleção. Como lá não existe o vestibular, cada instituição estabelece seus próprios critérios. Portanto, faça uma lista dos requisitos para saber como se qualificar.

2. Capriche no histórico escolar

Se você ainda está no Ensino Médio e pretende fazer uma faculdade nos Estados Unidos, é importante caprichar no seu histórico escolar. Para as universidades americanas, a trajetória do aluno tem mais valor que seu desempenho em um teste único. Por isso, o ideal é manter uma boa média no maior número de disciplinas possível.

Porém, se você tem uma dificuldade em uma ou outra matéria, não desista. Se o seu histórico for bom nas outras disciplinas os examinadores entenderão isso como uma aptidão menor para essa área, que inclusive pode ser compensada com outras qualidades demonstradas no seu processo de admissão.

Outra possibilidade, para quem está no Ensino Médio, é fazer um programa de High School no Brasil. Você estudará algumas matérias do currículo americano em paralelo ao seu curso aqui. Ao final do programa, receberá um diploma válido para admissão em universidades americanas. A admissão é facilitada garantida em faculdades parceiras, que não exigem dos alunos exames como SAT, ACT e TOEFL e muito facilitada em outras instituições.

3. Preste a prova SAT

Embora não haja vestibular nos Estados Unidos, ao final do High School os estudantes comprovam que têm o conhecimento básico das disciplinas do Ensino Fundamental e Médio por meio de um teste. O objetivo dele é mostrar se o aluno está preparado para a faculdade.

A maioria das escolas opta por fazer uma prova que recebe o nome de SAT — Scholastic Assessment Test, ou teste de aptidão escolar. Ela traz questões básicas das principais disciplinas: Inglês (por ser a língua materna deles), Matemática, Ciências, História e Línguas Estrangeiras.

Embora o SAT seja obrigatório para quem quer ingressar na faculdade, isso não significa que todos os alunos precisam fazer a prova inteira. Eles levam em consideração a sua nota nas disciplinas que têm a ver com o curso.

Portanto, se você pretende estudar Engenharia, por exemplo, é possível que a faculdade exija apenas o teste de Matemática e Ciências. Quem tem a intenção de fazer o curso de Direito só precisa demonstrar que domina o Inglês e História. Porém, é a instituição que define esses critérios para cada graduação que oferece. Então, mais uma vez, busque essa informação direto na fonte.

4. Conquiste a fluência em inglês

Como você viu, você precisará prestar a prova do Ensino Médio. Uma das disciplinas exigidas é justamente o inglês. Além disso, é esse o idioma que os professores usarão durante as aulas, que você ouvirá no campus universitário e em todas as atividades do seu dia a dia.

Por isso, enquanto você cuida de toda a documentação e faz o possível para atender a todos os critérios de admissão, invista em aprender inglês e conquistar a fluência. Isso vai permitir que o seu aproveitamento das aulas seja o melhor possível e que seu desempenho na universidade justifique todo o esforço e investimento realizado.

5. Providencie os documentos traduzidos para o inglês

Depois de verificar os critérios estabelecidos para admissão nas universidades, você precisará preparar os documentos que elas exigem. É comum eles solicitarem seus documentos pessoais, seu currículo escolar e cartas de recomendação.

Porém, para enviá-los à instituição, eles precisam ser traduzidos. Esse trabalho deve ser feito por um tradutor profissional registrado para que tenha o efeito legal e os documentos sejam aceitos pelas universidades americanas que você escolheu.

Peça cartas de recomendação

6. Peça cartas de recomendação

As universidades americanas levam muito a sério as cartas de recomendação. Por isso, é comum elas fazerem parte do processo de seleção dos candidatos às vagas.

No entanto, esqueça aquela ideia de uma carta de recomendação que segue um modelo pré-definido e não diz quase nada. O que eles querem é um verdadeiro dossiê sobre o aluno, em que as pessoas que se relacionaram com ele na escola ou no trabalho apontem suas características e qualidades que a universidade pode esperar dele.

Nessa carta de referência ou recomendação, é importante que a pessoa realmente fale sobre suas características e experiências, tanto como estudante quanto como profissional. É importante que ela destaque dedicação, participação ativa nas aulas, demonstração de espírito de liderança, proatividade, envolvimento em projetos de voluntariado e assim por diante. 

Se você está no Ensino Médio, o ideal é pedir essa carta de recomendação a alguns professores ou da equipe de direção do colégio. Também vale solicitar esse depoimento por parte do responsável por algum projeto social do qual tenha participado. 

Já se você é graduado e pretende fazer uma especialização, também é possível incluir a avaliação de seus chefes.  Se esses depoimentos conseguirem mostrar à universidade americana que você é um influenciador positivo, uma pessoa que procura fazer a diferença nos ambientes em que frequenta, suas chances de conquistar a vaga se tornam maiores.

7. Faça os testes de língua estrangeira

Para que o estrangeiro consiga fazer um curso em uma universidade americana, ele precisa demonstrar que é capaz de se comunicar em inglês. Essa comprovação vem por meio dos testes padronizados de língua estrangeira, como o IELTS (International English Language Testing System) ou TOEFL (Test of English as a Foreign Language). 

Cada faculdade exige uma nota mínima diferente para atestar sua fluência. Portanto, mais uma vez é importante consultar o site da instituição desejada. Existem vários cursos preparatórios para esses exames e investir em um deles é provavelmente a melhor forma de potencializar suas chances de admissão.

8. Prepare uma redação de intenção

Se tem algo que os americanos admiram em um candidato é a paixão. Eles sabem que quem realmente tem um sonho e está disposto a fazer sacrifícios para atingir seus objetivos é capaz de mudar o mundo e dar muito orgulho para a universidade que participou de sua formação. 

Por isso, na sua redação de intenção, demonstre essa paixão. Explique por que você deseja fazer o curso, por que escolheu aquela profissão e universidade e o que tem feito desde agora para se capacitar na área e se tornar o melhor profissional possível. Fale das suas atividades curriculares e extracurriculares e de como elas ajudaram você a desenvolver habilidades importantes para essa área e confirmaram a sua vocação.

9. Aposte em experiências diferenciadas

As universidades americanas não consideram apenas o conhecimento que o aluno adquiriu durante a vida escolar. Elas também apreciam o interesse em atividades extracurriculares, como o trabalho voluntário, intercâmbios ou vivências internacionais e premiações em olimpíadas do conhecimento.

Os examinadores entendem que essas atividades revelam um pouco da personalidade do candidato, além de demonstrarem seu interesse em ampliar o leque de conhecimentos e desenvolver uma cultura geral mais ampla. 

Assim, eles entendem que quem se dedica a atividades fora da sala de aula durante o Ensino Médio: teatro, competições esportivas, aulas de música e clubes de debates. Então, se na sua escola não existem essas possibilidades, procure realizá-las de outras formas ou por meio de projetos voluntários.

Eles também consideram muito a trajetória que o aluno percorreu. Portanto, se ele teve desafios ao longo da vida para concluir o Ensino Médio e mesmo assim teve um bom desempenho, os examinadores consideram esse esforço e proporcionam a oportunidade de desenvolvimento acadêmico.

10. Faça sua inscrição e encare o processo seletivo

Finalmente, depois de todo esse processo, você precisa submeter sua inscrição. Para isso, será necessário apresentar os documentos traduzidos, suas notas no SAT e na prova de inglês, as cartas de recomendação e sua redação de intenção. Acrescente itens que são um requisito específico da faculdade escolhida e envie de acordo com as instruções deles.

Além dos documentos, esse processo de seleção pode envolver entrevistas presenciais ou por telefone. Apesar do nervosismo que pode aparecer nesse momento, seja honesto em suas respostas e procure falar abertamente sobre suas expectativas com o entrevistador. Depois disso, é só aguardar a resposta e se preparar para tirar o visto e providenciar a mudança! 

E então, qual é a sua situação agora? Já terminou o Ensino Médio e está preparado para disputar uma vaga em uma universidade americana ou ainda falta muito tempo para chegar à graduação?

Você sabia que é possível conquistar um diploma de High School americano e ter acesso garantido a mais de 10 universidades nos Estados Unidos? Conheça as vantagens desse programa agora mesmo e saiba como ele pode facilitar a sua admissão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *